E aí galerinha, tudo bem?! Voltei com o meu tipo favorito de livro: adolescente com problemas e temática LGBT, preparados?

Um garoto de 16 anos tímido e retraído que sofre de agorafobia (transtorno de ansiedade que leva a pessoa a evitar locais que não considera seguros); uma menina ambiciosa e realista que sonha em entrar para a faculdade de psicologia.
Determinada a provar que merece ser aceita no segundo melhor curso do país, Lisa se aproxima de Solomon para ajudá-lo a superar suas dificuldades, trazendo também seu encantador namorado, Clark, para próximo de sua “cobaia”.

Logo, os três formam laços inesperados de amizade. À medida que se conhecem melhor, porém, os planos de Lisa começam a sair de controle, e cada um deles é obrigado a rever suas certezas e encarar seus medos.

~

Esse foi um livro que desde o lançamento lá fora minhas expectativas estavam muito altas, e quando vi a Rocco com ele no catálogo apenas pirei, mas vamos ao que interessa.

Depois de um acidente na escola Solomon fica com tanta vergonha que desenvolve um quadro grave de agorafobia e não sai de casa há anos, até que Lisa, de início com intenções puramente comerciais procura o menino para investigar o caso. Ela quer fazer uma redação sobre Solomon para entrar na melhor faculdade de psicologia do país.

via GIPHY

No início fiquei com raiva da menina por se aproveitar da condição do dele, mas com o decorrer da narrativa vemos que ela vai fazendo bem a ele e obviamente o que era negócios se transforma em uma amizade verdadeira e até Solomon descobrir, pura. No meio disso tudo dá até tempo para um quase-triângulo amoroso quando Lisa decide introduzir Clark no "projeto de vida" dela.
O livro é curto mas o autor conseguiu abordar uma gama de assuntos nesse pequeno período tais como descoberta sexual (Solomon está saindo do armário), a doença do protagonista, essa busca pelos sonhos e aqui já entra a imposição dos pais que desde quando Lisa era pequena cobravam notas altas na escola, como reflexo a menina quer se dar bem de todas as maneiras.

Os pais de Solomon podem parecer relapsos de início, mas foram tantos anos lutando para tirarem o filho do quarto, várias tentativas de terapias, que na verdade eles cansaram e deixaram que o filho ditasse o rumo daquilo; no fim das contas foi até uma questão de respeito com ele. A mãe do menino tem vários conflitos internos e o autor explora bem esses problemas familiares, tirando um pouco o foco do protagonista.

via GIPHY

Eu já conhecia o autor de um dos livros que mais me impactou há cerca de 4 anos mais ou menos, Quando Tudo Volta, e estava esperando tragédia ou algo para chorar copiosamente o que já aviso: não tem aqui. O final é satisfatório porém fiquei com aquela sensação de que o livro poderia ter sido maior, as coisas não se resolvem rápido, é mais pela tríade de assuntos abordados que poderiam ter ido muito além daquilo.

Sendo assim leva 4 estrelas e um cantinho especial no hall dos Young Adults LGBT (YALGBT)

Quotes:


Afastando-se de tudo o que lhe traz pânico, você não entrará em pânico. 

Dizem que, quanto mais irmãos mais velhos a pessoa tem, maior a probabilidade de ser homossexual. 

Nunca achei que eu pudesse parecer alguém para alguém. 

Não é muito difícil desaparecer quando não existe ninguém procurando por você. 

As vezes o lugar onde você está não tem a menor importância. A única coisa que importa é quem está ao seu lado.

0 Comentários