Olá galerinha, tudo bem? Voltei com um dos meus autores favoritos da vida, a experiência com esse livro não poderia ter sido outra senão MARAVILHOSA, preparados?!

Miles Halter leva uma vida sem graça e sem muitas emoções na Flórida. O garoto tem um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história, e uma dessas personalidades, François Rabelais, um escritor do século XV, disse no leito de morte que ia em “busca de um Grande Talvez”.

Para não ter que esperar o próprio fim para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir.
Ele vai para um internato no ensolarado Alabama, onde conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez.
Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma indecifrável de seus olhos verde-esmeralda.

~

É fato conhecido publicamente que AMO histórias passadas no ambiente escolar, drama envolvendo adolescentes problemáticos e todo o dilema dessa fase da vida, e adivinhem? Temos tudo isso no primeiro livro publicado por John Green! Apesar de serem fatores que distanciam muitas pessoas do contato com esse tipo de obra é o que me atrai, nem sei explicar o que sinto mas é uma coisa tão boa, me sinto realizado com essas narrativas juvenis.

via GIPHY

Mas sobre o livro: Trata de assuntos sérios como a busca por uma identidade, suicídio, problemas com álcool na adolescência, cigarro pois os personagens fumam muito, e tem um questionamento filosófico como não poderia deixar de faltar como marca registrada de Green, e aqui é sobre "o sofrimento da vida".
O livro parece simples mas é cheio de metáforas e ambiguidades que merecem atenção ao serem lidas, de uma maneira muito despretensiosa é entregue uma narrativa profunda com uma linguagem acessível e abordagem única, com humor e ainda assim um pouco de pessimismo por parte do autor e isso é MUITO lindo.

Durante a obra tem indicações de livros bem disfarçadas como o próprio Garcia Márquez, ainda Kurt Vunnegut com Cama de Gato, ele cita os principais poetas da língua inglesa e no meio disso dá pra montar uma TBR só em cima desse livro para talvez encontrar algumas respostas que ficaram propositalmente em aberto. Não dá pra falar muito da história por conta dos spoilers, o que posso afirmar sem dúvidas: esse livro me despedaçou!


via GIPHY

Sendo assim quem acha os livros de John Green bobos ou vazios, sinto em dizer, mas leu errado. Virou um favorito e leva 5 estrelas pelos personagens cativantes, história convincente e o toque único do autor que parece ter escrito sob medida.



Quotes:

Não dá para simplesmente ficar prolongando certas coisas para sempre. 

Só usamos o futuro para fugir do presente. 

Últimas palavras são sempre mais difíceis de se lembrar quando ninguém sabe que uma pessoa está prestes a morrer. 

Se as pessoas fossem chuva, eu era garoa, e ela um furacão.

Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.

0 Comentários